Axis melhora capacidade das câmeras com nova geração do chip ARTPEC

A 7ª geração do chip Artpec da fabricante sueca Axis Communications chega ao mercado com ajustes que agregam novos recursos às câmeras IP da empresa – incluindo melhores imagens, recursos de segurança, compressão e a possibilidade de operar analíticos de vídeo em dispositivos de borda. Mais do que isso, o chip desenvolvido pela empresa conta com uma camada de controle de cibersegurança que assegura a proteção dos dados.

Em um momento em que violações de segurança no ambiente digital são uma preocupação crescente para empresas em todo o mundo, o ARTPEC-7 permite recursos de segurança integrados, incluindo firmware assinado (secure boot), que impede a instalação de versão não-autenticada. O novo chip foi anunciado ao mercado em junho durante a Partner Summit 2019, evento que contou com a participação dos principais parceiros da marca, em Comandatuba (BA).

Para a empresa, o lançamento representa uma forte vantagem competitiva. “Somos um dos poucos fabricantes que operam com próprio sistema de chip, o que nos garante controle total sobre cada transistor, o que é essencial para a confiança e a segurança cibernética. Além disso, ao contrário de outros dispositivos, esse chip não é um design genérico. Pelo contrário, é 100% otimizado para criar soluções de vídeo em rede de alta qualidade para a Axis”, comenta Johan Paulsson, Chief Technology Officer da Axis Communications.

O chip será a base para uma série de novas câmeras da empresa, como a câmera AXIS P1375, já disponível no Brasil.

Lightfinder 2.0 e mais qualidade de imagem

A nova versão que chega ao mercado reprojetou por completo o processamento de imagem para melhorar ainda mais todas as tecnologias exclusivas da Axis para a operação em ambientes com condições difíceis de iluminação. A versão 2.0 do Lightfinder, por exemplo, fornece cores mais realistas do que nunca em ambientes de pouca luz, junto com imagens mais nítidas de objetos em movimento, mesmo nas áreas mais escuras.

Da mesma forma, o WDR Forense fornece imagens mais nítidas de objetos em movimento, além de detalhes aprimorados em cenas com iluminação de fundo ou cenas com grandes diferenças entre as áreas mais claras e mais escuras. O aumento da sensibilidade à luz também amplia significativamente a faixa de iluminação das câmeras Axis com IR.

A tecnologia ainda permitirá que, em breve, os usuários escolham entre a codificação de vídeo H.264 e H.265, de acordo com a demanda de sistema e vigilância. Combinado à tecnologia Zipstream, o sistema exigirá ainda menos largura de banda e espaço de armazenamento de dados – sem abrir mão da qualidade da imagem. Além disso, os usuários terão a liberdade de reavaliar a escolha de codec a qualquer momento.

Notícias Relacionadas

Destaque

Aumento de incidência de raios durante o final do verão demanda cuidado redobrado com equipamentos eletrônicos

O Brasil é um dos países com pior rede de distribuição de energia elétrica do planeta. Além disso, segundo o…

Destaque

Mercado de reconhecimento facial cresce, mas consumidores ainda desconfiam

Enquanto a segurança e a privacidade da tecnologia de reconhecimento facial seguem questionadas abertamente e ligadas ao surgimento de governos…

Destaque

WDC Networks anuncia revalidação do Certificado de Registro para comercialização de câmeras térmicas

A WDC Networks anuncia ao mercado a revalidação do seu Certificado de Registro (CR) de Produtos Controlados pelo Exército. O…