Atlanta aposta em parceria público-privada para segurança da cidade

A cidade de Atlanta, nos Estados Unidos, ultrapassou a marca de 10 mil câmeras de videomonitoramento visualizadas pela polícia. A marca foi atingida por uma combinação de câmeras públicas e câmeras pertencentes a varejistas, grandes empresas e até mesmo residências. O Departamento de Polícia de Atlanta (APD, na sigla em inglês) aproveitou o melhor da tecnologia para integrar as imagens de toda a cidade sem onerar os cofres públicos através de uma parceria público-privada.

O projeto vem sendo desenhado desde 2007, quando a prefeitura local decidiu lançar uma nova iniciativa chamada Operation Shield – esforço conjunto entre a Atlanta Police Foundation e a APD. O projeto foi concebido para mobilizar a cooperação de múltiplos setores privados para promover uma rede de segurança mais completa e apta a ajudar as autoridades no combate à criminalidade. As imagens, visualizadas em um único centro de comando, proporcionam às forças de segurança uma visão holística e em tempo real das ocorrências.

Outras organizações da cidade, como o Sistema de Escolas Públicas de Atlanta, bem como os departamentos de Obras Públicas, Gestão de Bacias Hidrográficas, além da aviação, contribuem com 4.000 câmeras para a rede de vigilância. O maior incremento, no entanto, ocorreu por meio de parcerias com os comércios locais e imóveis residenciais. Usando uma combinação entre redes wireless, fibra óptica e conexões 4G, as imagens são transmitidas de maneira segura e armazenadas na nuvem. Em alguns casos, e sempre com a autorização dos cidadãos, os agentes de seguranças conseguem operar as câmeras.

Na prática, as imagens já foram responsáveis até pela atuação rápida da polícia para proteger um cidadão em um tiroteio. Recentemente, houve um incidente em que um funcionário de uma empresa local vasculhava a área com a câmera PTZ da empresa e ouvia alguns tiros. Assustada com o som, acidentalmente inclinou a câmera em uma direção não tão útil à ação policial. Da sala de controle do Departamento de Polícia, um oficial conseguiu redirecionar a câmera para melhor examinar a cena e capturar detalhes importantes da situação.

Infraestrutura

O sistema de videomonitoramento IP passou a ser desenhado a partir de 17 câmeras de videomonitoramento que, em seguida, foram expandidas para 400 equipamentos HDTV para os pontos críticos – 90% da fabricante líder em videovigilância IP, Axis Communications. Outro desafio foi o de construir uma plataforma robusta que pudesse abarcar mais de 10.000 câmeras de diferentes marcas, tipos de redes e sistemas de gestão de vídeo.

Hoje, a maioria das câmeras no sistema são transmitidas diretamente para a nuvem através do Stratocast, da Genetec, enquanto as imagens em alta-resolução das câmeras AXIS Q60 realizam a cobertura 360° graus da vizinhança – com economia de banda, o que também era fator primordial em um sistema que integra tantos dados simultaneamente.

Notícias Relacionadas

Destaque

Intelbras lança central de alarme de incêndio endereçável com possibilidade de configuração via Wi-Fi

O produto produzido no Brasil oferece maior facilidade de uso, custo-benefício e segurança A Intelbras, empresa brasileira desenvolvedora de tecnologias…

Cases

Avantia, WeSafer e Farah Service entregam modelo de videomonitoramento inteligente para a Ciclovia Franco Montoro, na capital paulista

A Avantia e a WeSafer, unidade digital independente especializada em inteligência artificial, fecham parceria com a Farah Service – concessionária…

Destaque

Após um ano de uso de câmeras em uniformes, mortes por policiais caem 80%

As mortes cometidas por policiais militares despencaram em 19 dos 131 batalhões do estado de São Paulo um ano depois…