A importância de ter um sistema de iluminação de emergência

Por Bruno Machado Teixeira

O Brasil está em terceiro lugar no ranking mundial de mortes por incêndio. A constatação se baseia no cruzamento de dados do Sistema Único de Saúde (SUS) com uma pesquisa realizada pela Geneva Association em 2015. Por essa razão, é evidente a importância em investir em um sistema de iluminação de emergência.

A iluminação de emergência autônoma garante a luminosidade do ambiente em casos de queda de energia elétrica, sendo acionada automaticamente para ativar o funcionamento.

Possuem baterias internas, ou seja, contém a própria fonte de alimentação. Um bom equipamento deve ter autonomia de, no mínimo, uma a duas horas de funcionamento, que pode ser prolongado de acordo com o fabricante. Além disso, sua instalação deve ser fácil e prática, exigindo apenas que o usuário plugue na tomada para que funcione.

A missão do sistema de iluminação de emergência consiste em diversas ocasiões. Dentre algumas, o controle visual das áreas abandonadas para que seja possível localizar pessoas impedidas de locomoção, proteger a segurança patrimonial, facilitar a localização de pessoas indesejadas, sinalizar o caminho das rotas de fuga, entre outras possibilidades.

São produtos essenciais no dia a dia das pessoas e devem ser instalados conforme as normas ABNT NBR 10898, que para cada estado brasileiro, o Corpo de Bombeiros da Polícia Militar é responsável por fiscalizar e assegurar que os sistemas de emergência estejam em conformidade com a norma.

As opções de iluminação de emergência autônoma são luminárias e blocos de emergência. As luminárias 30 LEDS são indicadas para pequenos ambientes de até 30m, substituindo a utilização de velas que proporcionam riscos de incêndio no local. Também podem ser utilizadas para atividades de pesca, campings, entre outras ações que geralmente não possuem luz elétrica. Alguns modelos são bem compactos e possuem alça, dessa forma são práticos e servem como lanterna.

Os blocos autônomos são indicados para ambientes maiores, por possuírem maior fluxo luminoso (Lúmens). Estes equipamentos chegam a iluminar aproximadamente 400m², como galpões, industrias, garagens, escadas, entre outros.

Antes mesmo de realizar compra dos produtos, é prescindível checar a qualidade do produto, suas lâmpadas e durabilidade das baterias. Esses sistemas não costumam ser usados com frequência, por isso a importância em optar por excelentes opções é essencial.

Bruno Teixeira é gerente do segmento de iluminação e incêndio da Intelbras. O executivo soma mais de 10 anos na empresa passando por diversas funções da área de desenvolvimento de negócios, supply chain e diretoria da Intelbras no México.

Notícias Relacionadas

Destaque

Intelbras lança central de alarme de incêndio endereçável com possibilidade de configuração via Wi-Fi

O produto produzido no Brasil oferece maior facilidade de uso, custo-benefício e segurança A Intelbras, empresa brasileira desenvolvedora de tecnologias…

Cases

Avantia, WeSafer e Farah Service entregam modelo de videomonitoramento inteligente para a Ciclovia Franco Montoro, na capital paulista

A Avantia e a WeSafer, unidade digital independente especializada em inteligência artificial, fecham parceria com a Farah Service – concessionária…

Destaque

Após um ano de uso de câmeras em uniformes, mortes por policiais caem 80%

As mortes cometidas por policiais militares despencaram em 19 dos 131 batalhões do estado de São Paulo um ano depois…