A evolução ininterrupta da segurança eletrônica e inovação

Por Adalberto Bem Haja – Mentor, Conselheiro e Investidor Especializado no Mercado de Segurança e Inovação

No cerne de um mercado em constante metamorfose, a segurança eletrônica e a inovação não são apenas áreas de negócio, mas verdadeiros campos de batalha para a criatividade e o progresso. Enquanto testemunho a transição de eventos tradicionais para plataformas disruptivas como o Seg Summit 2024, reflito sobre a trajetória do setor que tanto amo e as tendências que moldam o nosso amanhã.

O encerramento do Congresso Segurança Eletrônica, após nove anos de história, não é um epílogo, mas uma ponte para um evento que promete revolucionar o mercado: o Seg Summit 2024. Como mentor e palestrante, percebo que tais eventos são o coração pulsante de nossa indústria, não apenas para networking, mas como epicentros de inovação, onde ideias se tornam realidade.

O Web Summit Lisboa deste ano iluminou a inteligência artificial como a vanguarda tecnológica, trazendo à tona a necessidade imperativa de regulamentação. Como defender a privacidade e promover a segurança em um mundo cada vez mais digitalizado e suscetível a deepfakes e violações de dados? As respostas não são simples, mas o diálogo é urgente.

Enquanto o comentário imprudente de um CEO pode abalar estruturas corporativas e eventos de grande porte, como visto no Web Summit, também ressalta a força intrínseca da comunidade tecnológica. A ausência de gigantes como Microsoft e Google não esvaziou os corredores; pelo contrário, os painéis se mantiveram ricos em discussão e oportunidades, um testemunho da resiliência e do dinamismo deste ecossistema.

As startups, especialmente as russas, enfrentam desafios significativos em meio a conflitos geopolíticos, direcionando seus olhos para investidores da América Latina, um mercado emergente e promissor. No entanto, a questão da cibersegurança permanece premente, com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) trazendo novas camadas de complexidade para empresas de médio porte.

Através das minhas experiências aprendi que o verdadeiro valor está na conexão com pessoas competentes, na criação constante e na celebração de sucessos coletivos. Semanas incríveis não são uma coincidência, mas o resultado de um ciclo bem orquestrado de inovação e colaboração.

Portanto, olhemos para o futuro com a confiança de que, mesmo diante das adversidades e mudanças, o mercado de segurança e inovação continuará a florescer. E que possamos todos fazer parte dessa jornada transformadora, conduzindo a tecnologia não apenas para novas fronteiras de possibilidade, mas também para a consolidação de um mundo mais seguro e humano.

Adalberto Bem Haja
Engenheiro Eletrônico com MBA em Gestão Estratégica de Negócios pela FGV, empreendedor desde os 17 anos. Atualmente, CEO da BHC Sistemas, Investor Advisor e Embaixador da Bossanova Investimentos, investe em mais de 120 startups, sócio e conselheiro do CT Hub e em 2022 foi escolhido em 1º lugar como Global Top Influencer pela IFSEC na categoria Integradores, se tornando o primeiro brasileiro da história a conseguir o primeiro lugar.

Notícias Relacionadas

Artigos

De onde vem essa tal de I.A.?

Por Nicolau Ramalho E essa tal de Inteligência Artificial? Novidade? Tendência? Moda? Será que é passageiro? ChatGPT, WatsonX, Bard. Inteligência…

Destaque

SegurPro investe em eletrificação da frota de veículos operacionais na Unilever

A multinacional de bens de consumo foi a primeira cliente da SegurPro no Brasil a adotar o uso de carros…

Destaque

Lei de Informática: instrumento de política industrial que beneficia produtos nacionais de segurança eletrônica

A Lei de Informática, Lei nº 8248/1991, também conhecida como Lei de TICs, é uma política que desde a década…