5 vantagens na adoção de CFTV em nuvem para projetos de segurança eletrônica

Estamos na era da inovação! E este DNA tem feito parte de todos os mercados, não sendo diferente no Videomonitoramento. Os recursos e facilidades tecnológicas tem evoluído de maneira acelerada, possibilitando mais oportunidades de negócios e novas maneiras de entregar valor aos clientes. Neste artigo, apresento 5 vantagens que a adoção de CFTV em nuvem traz para seus projetos em Segurança Eletrônica.

1. Redução de investimento

Uma das grandes objeções para o sucesso de projetos em Segurança Eletrônica, especialmente os que envolvem analíticos de vídeo e inteligência artificial está justamente no alto valor de investimento que o cliente precisa fazer.

Em projetos novos é necessário a aquisição não somente das câmeras, mas dos gravadores ou storages, HDs, servidores e licenças para VMS, cabeamento seguido de toda infraestrutura e serviços necessários para a devida implantação da solução.

Já nos cenários em que existe um legado de CFTV não é diferente, visto que na grande maioria das propostas tradicionais de mercado toda a inteligência e funcionalidades relevantes estão embarcadas justamente nas câmeras, o que faz com que uma substituição de hardware seja inevitável, “ignorando” um investimento já realizado pelo cliente (em que muita das vezes sequer cumpriu o prazo de depreciação para justificar esse retrofit).

No caso do CFTV em nuvem, fica claro a alta redução de custos uma vez que o cliente não terá que fazer a aquisição imediata da maioria dos recursos já listados. Esta tecnologia funciona na proposta de “VSaaS”, ou seja, uma solução de monitoramento, inteligência e gravação entregue como serviço, sendo que os custos são diluídos, fixos, previsíveis, baixos e mensais, na forma de uma assinatura tal qual já temos em nosso dia a dia como na contratação de serviços de streaming, por exemplo.

Além disso, a plataforma em nuvem pode aproveitar praticamente qualquer tecnologia legada do mercado, fazendo com que as câmeras já existentes no cliente sejam aproveitadas e otimizadas na aplicação de inteligência artificial permitindo habilitar vários recursos tais como proteção perimetral, contagem de pessoas, detecção de atitudes suspeitas, leitura de placas, ou seja, tudo isso funcionando em câmeras que até então só serviam para o monitoramento convencional.

Isso faz com que o cliente consiga viabilizar um projeto de alto valor agregado e eficiência sem onerar seu orçamento.

2. Escalabilidade

Toda infraestrutura local, especialmente no caso de CFTV possui suas limitações, considerando que para expandir um projeto é necessário computar canais de gravadores ou storages, mais HDs para preservar o tempo de gravação, mais licenças de VMS para a adição dos novos dispositivos e dependendo do tamanho dessa expansão, pode ser necessário o upgrade e até mesmo substituição dos servidores,  switches e afins.

Cada elemento deste traz novos e maiores custos ao cliente além de limitá-lo tecnicamente a ter um crescimento saudável, simples e eficiente dos seus recursos de segurança.

Na utilização do CFTV em nuvem a experiência é completamente diferente, onde a plataforma já garante o crescimento ilimitado em termos quantitativos e qualitativos do projeto. Permitindo que, com poucos cliques e uma simples adesão ao contrato de serviço já existente, o cliente possa habilitar tantos novos produtos e recursos que quiser em seu ecossistema de segurança.

3. Segurança e privacidade das gravações

Uma das grandes e devidas preocupações atuais estão relacionadas à privacidade e segurança de dados, inclusive na gravação de imagens. Este é um tema cada vez mais debatido e requerido nos projetos de Segurança Eletrônica, tanto pela promulgação da LGPD quanto do aumento na invasão à dispositivos como câmeras e gravadores.

As equipes de TI nas empresas e órgãos públicos buscam meios de garantir que a mesma qualidade de SI (Confidencialidade, Integridade e Disponibilidade) garantida nos dispositivos da TIC também sejam encontrados nos recursos de CFTV.

Muitas vezes, soluções padrões no mercado não estão preparadas para prover essa proteção e privacidade, a começar por poderem ser vandalizados e furtados de maneira física dentro das organizações (o que acontece com frequência, infelizmente). Desde um furto num pequeno comércio, invasões em agências bancárias, varejistas e outros mercados, sabemos que já virou praxe dos criminosos buscarem vandalizar ou furtar os dispositivos de segurança para eliminarem provas dos seus atos.

Nestas situações, independente do quão tecnológico seja o equipamento, não há saída local para garantir que isso não aconteça. Para tanto, a solução de CFTV em nuvem se mostra completamente eficiente visto que as imagens estarão sendo armazenadas em um Data Center remoto, certificado, protegido e redundante fazendo com que as gravações estejam devidamente preservadas independente do que ocorrer no DVR/NVR/Storage/Servidor local.

Desta forma, mesmo que seja para uma boa política de backup e continuidade, o CFTV em nuvem está cada vez mais indispensável, assim como outras soluções já consagradas de armazenamento de arquivos em nuvem que substituíram tecnologias convencionais do modelo “on premise”.

O mesmo segue para as preocupações quanto à cibersegurança, uma vez que as plataformas em nuvem geralmente estão hospedadas nas melhores qualidades de data center disponíveis no mercado tais como da Amazon ou Google, estando portanto, sob a tutela de toda a proteção de primeira linha que estas gigantes aplicam e certificam em seus ambientes computacionais.

4. Praticidade e Dinamismo

Nada pior do que o arrependimento e prejuízo em ter adquirido uma solução que demandou alto investimento e não ter nenhuma flexibilidade técnica para adequações e ajustes em relação aos  novos cenários e dores que vão se moldando no decorrer do tempo dentro da operação.

Quantos clientes gostariam de substituir os recursos habilitados na câmera A para a câmera B, ou poderem aplicar uma determinada inteligência num ponto que lá trás não foi considerado mas agora se tornou uma necessidade latente, ou até mesmo numa caráter de urgência adquirir um produto de melhor custo x benefício mas que possa permitir as mesmas funcionalidades dos modelos originais do projeto.      

O fato, é que as tecnologias propostas atualmente funcionam quase sempre como um “pacote fechado” e qualquer alteração ou dinâmica necessária  trará consigo uma série de complicações desde incompatibilidades à necessidade de novos e maiores investimentos em hardware, software e serviços.

Esta é outra solução e vantagem do CFTV em nuvem, visto que todo o gerenciamento e inteligência roda dentro da plataforma, “pouco importa” o modelo/fabricante do hardware na ponta. Você pode desabilitar recursos daqui e habilitar ali, rever seu projeto, remapear seus pontos, reconsiderar seus analíticos e até mesmo seu monitoramento e gravação. Tudo com muita praticidade e dinamismo, fazendo com que seu projeto esteja sempre vivo e eficiente conforme seu cenário, necessidades e riscos também vão mudando.

5. Compatibilidade e Gerenciamento Unificado

Muitas empresas possuem parques de dispositivos descentralizados, ou seja, distribuídos em vários sites distintos, além de ser uma realidade bem comum contarem com uma variedade de modelos, versões e fabricantes de câmeras e gravadores em suas instalações.

Isso faz com que soluções tradicionais de mercado ofereçam uma série de dificuldades ao projeto, primeiro pela improbabilidade de serem compatíveis sequer com a maioria dos dispositivos existentes, segundo pelo alto custo de servidores e licenças necessárias para o gerenciamento e monitoramento centralizado destes recursos. Algumas plataformas exigem que seja implantado um servidor corporativo em cada site, além de licenças para cada dispositivo, licenças para reprodução de gravação, licenças para analíticos, módulos, acessos simultâneos, acessos por app e demais funcionalidades.

A facilidade da plataforma em CFTV em nuvem se dá pela compatibilidade quase irrestrita a câmeras e gravadores, e mesmo que não sejam modelos nativamente integrados, podem ser adicionados à plataforma por protocolos “gerais” tais como RTSP, RTMP, P2P e afins. Garantindo o aproveitamento do parque existente.

Devemos considerar que, estando todos os sites associados à plataforma, o gerenciamento assim como toda a operação no sistema se torna unificado, deixando acessível ao usuário todos os recursos existentes do cliente de maneira transparente, permitindo o monitoramento e gravação de câmeras espalhadas pelo mundo como se estivessem todas num mesmo ambiente.

A inovação às vezes incomoda, mas sempre chega pra ficar, portanto, faça parte!

Notícias Relacionadas

Destaque

PositivoSEG orienta empresas que pretendem investir em segurança eletrônica e não sabem por onde começar

Diretor de IoT, José Ricardo Tobias elenca cinco passos iniciais que vão garantir uma escolha inteligente para proteger os ativos…

Destaque

LogPlace inicia transporte de cargas de alto valor em parceria com a TBForte

O lançamento do serviço foi marcado por uma homenagem ao piloto Ayrton Senna com transporte do capacete utilizado em 1988…

Cases

Lotérica reduz custo na gestão de numerário e zera perdas com cofre inteligente

Cansado de assaltos e de perder horas do dia fazendo a contagem das cédulas, o empresário José Eduardo Nogueira de…