5 dicas para ser um profissional de cibersegurança

Em meio ao aumento dos ciberataques, profissão ganha destaque no mercado de tecnologia brasileiro

Os últimos meses foram marcados pelo aumento exponencial dos ciberataques, em especial nas empresas. De acordo com um levantamento realizado pela Kaspersky, só em 2020 o aumento foi de 330%, representando mais de 370 milhões de tentativas de invasões a sistemas corporativos.

E, diante desse cenário, o profissional de cibersegurança passou a valer ouro para as organizações, que estão investindo cada vez mais em tecnologia preventiva para esse tipo de situação.

“A presença desse profissional se torna indispensável para evitar exposição das empresas aos golpes. Além disso, são eles os responsáveis por gerenciar todas as soluções voltadas para cibersegurança”, pontua Gustavo Duani, da Claranet Technology S/A, multinacional de tecnologia, com foco em serviços gerenciados de cloud computing.

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), a expectativa é que o Brasil tenha demanda para mais de 420 mil profissionais de TI até 2024. Em meio a falta de mão de obra qualificada nesse mercado, Duani dá algumas dicas de como se tornar um profissional de cibersegurança. Confira!

1- Busque certificação: ter um diploma é importante, mas na área de tecnologia, as certificações muitas vezes podem contar mais. Por isso, os cursos que são especificamente da área podem ser uma porta de entrada para a profissão.

2 – Inglês é fundamental: muitos termos deste segmento são em inglês e, por isso, é importante ter domínio da língua. Além disso, muitos relatórios podem chegar em inglês e isso se torna parte do cotidiano.

3 – Adaptação a mudanças: o setor de tecnologia é bastante dinâmico e as mudanças acontecem muito rápido, em especial no que tange os ataques hackers. Sendo assim, é preciso agilidade e grande poder de adaptação.

4 – Foco em resultados: o objetivo dos profissionais de cibersegurança é prevenir os ataques. E por isso, o foco deve ser na identificação das ameaças e nos resultados que vão proteger a companhia.

5 – Conhecer o mercado: estar antenado ao que acontece no mercado, e até em outras empresas, é importante para o profissional de cibersegurança. O segmento apresenta sempre novidades e é preciso estar por dentro.

Notícias Relacionadas

Destaque

Amanhã não perca a LIVE de lançamento oficial do ULTRA by SoftGuard

Ficou curioso e quer saber mais? Vem comigo, que no caminho eu te conto! Com ULTRA você será capaz de…

Destaque

LGPD começa a gerar multas: veja como os condomínios estão se adaptando às novas regras de privacidade

Residenciais que usam tecnologias como biometria e leitura facial precisam ter regras claras e consentimento dos proprietários dos dados, dizem…

Segurança Eletrônica

Resistência ao mau tempo, visão noturna inteligente e cobertura de todos os ângulos; conheça as novas câmeras homologadas ao D-Guard

Time do D-Guard quer homologar o maior número possível de analíticos dos dispositivos integrados ao sistema Na primeira quinzena deste…