10 fatos interessantes sobre CFTV

As câmeras de segurança estão por toda parte, e muitas vezes ouvimos que, se você quer deixar um local mais seguro, uma câmera de segurança é fundamental, mas quais são os fatos por trás dessas declarações e o que mais precisamos saber sobre câmeras de segurança?

Vamos dar uma olhada em 10 fatos interessantes sobre CFTV:

1 – Câmeras de segurança existem a mais tempo do que podemos imaginar. Elas estão disponíveis desde 1942, e em uso desde a década de 1960.

2 – A primeira câmera de segurança foi instalada na Alemanha em um foguete V2 por uma empresa de engenharia. Sim, ela foi não foi utilizada para a prevenção de crimes, mas para assistir ao lançamento de um foguete.

3 – Em 1992, 20 anos depois que Walter Bruch desenvolveu o primeiro sistema de videovigilância, uma câmera de segurança fez sua aparição em Olean, Nova York, EUA.
A cidade instalou câmeras de segurança em um distrito de negócios para ajudar a combater e impedir o crime.

– A indústria bancária foi a primeira a colocar câmeras de segurança.

5 – Em 1996, a Axis Communications lançou a primeira câmera IP.

6 – O Reino Unido tem 4 milhões de câmeras, o que equivale a 20% das instalações de câmeras de vigilância do mundo. Uma câmera para cada 11 pessoas.

7 – Apenas 9% dos consumidores hoje possuem uma câmera de segurança. No entanto, cerca de 67% dos assaltos podem ser dissuadidos pela instalação de uma câmera de segurança.

8 – Aproximadamente 25 milhões de câmeras de vigilância estão operando em todo o mundo.

9 – Muitas indústrias usam sistemas de vigilância ou câmeras de segurança para monitorar áreas onde não é seguro para seres humanos ou a entrada não é possível – por exemplo, usinas nucleares e fábricas de produtos químicos.

10 – Na década de noventa foi introduzida uma novidade: um só sistema é capaz de gravar imagens de várias câmeras em simultâneo. Neste sentido e com a crescente popularidade dos computadores foi possível alterar o dinamismo dos sistemas de videovigilância. As gravações passaram a ser armazenadas em discos rígidos, o que simplificou todo o processo de armazenamento e o próprio acesso posterior a imagens.

Fonte: TecnoFaq

Notícias Relacionadas

Artigos

A anatomia de um ataque cibernético

Por André Fleury Era uma quinta-feira, dez e meia da noite, e estávamos na segunda semana de trabalho incansável recuperando…

Destaque

Adistec Brasil encerra 2020 com bom desempenho e registra 10% de crescimento

A Adistec Brasil, distribuidora de valor agregado com foco em infraestrutura para Data Centers e Segurança da Informação, encerrou o…

Destaque

Oscilação de energia: saiba como proteger os aparelhos da sua casa e empresa

Por Maria Helena Garcia Imagine que a queda de um raio cause uma sobrecarga elétrica na sua empresa, comprometendo a…