Tendências da fibra óptica no ambiente corporativo

Hoje em dia, as empresas buscam diversas formas de manterem uma excelente infraestrutura de tecnologia da informação. Ultimamente, não somente o padrão de infraestrutura está mudando, como também o custo benefício de se investir em fibra óptica é bastante positivo devido ao valor que está bem similar aos cabos metálicos.

Essa é apenas uma das tendências, entre várias, de corporações que estão mudando suas redes internas, substituindo os cabos de redes metálicos. A fibra óptica é uma tecnologia a prova de futuro, pois não estabelece limite de velocidade, o limite está nos equipamentos conectados a ela.

A previsão é que nos próximos cinco ou dez anos, a tecnologia deva evoluir para outro patamar por demanda de velocidade e isso será uma constante. Sendo assim, se uma fibra óptica estiver implantada na empresa, edifícios e negócios, bastará apenas efetuar a troca dos equipamentos de ponta para esses locais estarem devidamente atualizados. Já a rede metálica, será uma prática contínua em ter que substituir todo cabeamento de poucos em poucos anos, sem contar que ocupa muito espaço.

Com uma única fibra óptica, há substituição de uma infinidade de cabos, atendendo à mesma demanda de baixo custo de implantação e manutenção. Um cabo de cobre de 94 quilos pode ser substituído por apenas 3,6 quilos de cabo óptico. Questão muito importante, por exemplo, em um edifício mais antigo, onde a disponibilidade de canaletas, calhas e conduítes é mais escassa.

Em instalações em ambientes abertos, como áreas externas das empresas, a fibra óptica oferece mais segurança contra descargas atmosféricas. Como ela não é metálica, não conduz energia elétrica. Desta forma, se um raio cair em uma área próxima, a fibra não o conduzirá e, consequentemente, os equipamentos ativos das redes não serão danificados.

Se falarmos em tecnologia GPON, todo o gerenciamento da rede é centralizado na OLT (produto localizado no centro de toda a rede, o qual transmite a conexão via fibra óptica com o sinal GPON em direção às casas dos assinantes) o que torna a operação e manutenção muito mais simples. Essas são as inúmeras razões desta tendência, transição essa que está tornando tudo mais otimizado e prático.

Diego Zaniol
Gerente do segmento de redes com fio da Intelbras

Notícias Relacionadas

Destaque

CDVI participa de um ciclo de palestras da FMU para alunos de Telecom e TI

No dia 13 de novembro a CDVI participou do ciclo de palestras promovida por professores e coordenadores dos cursos de…

Destaque

Evento Soluções de Segurança terá palestras técnicas e debates; inscrição gratuita

Acontece no dia 29 de novembro (quarta-feira), em São Paulo, o último encontro do ano organizado pela Revista Segurança Eletrônica….