Sistema de segurança para toda a cidade

Uma pequena cidade no interior de São Paulo enxergou a necessidade de ter um sistema de segurança completo implantado no município. Para isso, realizou um projeto que contemplou a instalação de câmeras, gravadores e software de ponta para monitorar ruas, avenidas e diversos locais públicos da região

Por Fernanda Ferreira

A cidade de São Miguel Arcanjo, interior de São Paulo, é um município localizado na região metropolitana de Sorocaba, que conta com um pouco mais de 30 mil habitantes. Com uma economia fortemente voltada para o setor agrícola, especialmente para o cultivo de uvas, a cidade é conhecida pela Festa da Uva, que realiza em todo o primeiro trimestre do ano.

Apesar de ser uma cidade pequena e tranquila, ao longo dos anos os índices de violência e tráfico de drogas estavam registrando um aumento significativo, e até 2016 não existia nenhum tipo de sistema de segurança eletrônica instalado no município para auxiliar as forças policiais no monitoramento, exceto algumas câmeras analógicas que vigiavam o prédio da Prefeitura localizado na Praça Antônio Ferreira Lema.

A fim de aumentar a segurança na região, foi aberto um edital que contemplava a instalação de câmeras, gravadores e central de monitoramento em diversos pontos da cidade. A BYCON, empresa especializada em sistemas de gravação e transmissão de vídeo e áudio, instalou soluções com requisitos técnicos diferenciados para segurança da cidade. Foram implantadas 18 câmeras com resolução FullHD (1920 x 1080), sendo oito delas no modelo speed domes e dez no modelo bullet com lente varifocal. Todas as câmeras possuem iluminador de infravermelho para aplicações diurnas e noturnas com alcance de até 100 metros. O recurso de comunicação através de rádio também foi utilizado no projeto. Atualmente toda a gestão deste projeto está sob a responsabilidade da empresa Directa Serviços.

As câmeras foram instaladas em postes predeterminados para cobrir todo acesso à cidade de São Miguel Arcanjo. Os pontos selecionados para o monitoramento contemplavam lugares públicos como escolas, praças, rodoviária, centro comercial, acessos de cidades vizinhas (Itapetininga e Pilar do Sul) e a própria Prefeitura.

Também foi utilizado no projeto, gravadores corporativos da BYCON com capacidade para múltiplas câmeras e múltiplos discos, e com a possibilidade de funcionar 24h por dia, sete dias por semana. Os gravadores possuem gavetas removíveis que facilitam a substituição de discos, sistema de refrigeração com coolers hot swap e sistema de nobreak interno para diminuir impactos com oscilações de rede elétrica. Todos os DVRs recebem o sinal das câmeras e realizam gravação nos discos de forma redundante e podem ser instalados em locais distintos a fim de evitar a perda de imagem por roubo de discos.

Na central de monitoramento foi instalado um servidor com dois monitores de 42 polegadas e o software da fabricante mexicana Xpectra. O software é responsável por exibir todas as imagens dos gravadores e possui inteligência para facilitar a operação de todos os equipamentos. A solução baseia-se em uma plataforma “cliente servidor” e isso possibilita que vários usuários tenham acesso as imagens (com confirmação de usuário e senha). Essa característica proporcionou que também fosse instalado um monitor de 32 polegadas com todas as imagens na sala do Prefeito de São Miguel Arcanjo para acompanhamento de ocorrências e verificação do sinal de todas as câmeras.

“Dentro do software Xpectra trabalhamos com o Planejamento de Segurança Física e Inteligência (PSpi), uma metodologia poderosa que integra operação, manutenção e inteligência de negócios para a tomada de decisões em tempo real”, explicou Jorge Luis Cesín, CEO e fundador da Xpectra.

Resultados positivos

Após a instalação de todo o sistema de segurança, a cidade de São Miguel Arcanjo já consegue sentir a diferença por ter equipamentos que contribuem para a segurança pública.

Com as novas câmeras é possível verificar os carros que entram e saem do perímetro urbano através das câmeras instaladas nos acessos da cidade; observar qualquer tipo de problemas relacionados ao uso e tráfico de drogas nos principais pontos do município, como rodoviária, praças e escolas e enviar apoio policial para normalização de eventos de explosão e roubo de bancos, que diminuíram bastante após a instalação de câmeras em áreas estratégicas.

“Os moradores se sentem mais seguros ao transitar pelas ruas e comércios sabendo que estão sendo vistos por câmeras móveis que foram instaladas em áreas comerciais e nos principais pontos de ocorrência de problemas. E a nossa famosa Festa da Uva tornou-se mais seguro com vias protegidas pelo monitoramento de câmeras”, contou o Prefeito de São Miguel Arcanjo, Paulo Ricardo da Silva.

Possibilidade de ampliação

O programa começou em 2016, mas se estenderá até 2019 e também será implementado em escolas, hospitais e postos de saúde da cidade.

Apesar do sistema possuir inicialmente 18 câmeras, o projeto foi trabalhado desde o início com a possibilidade de ampliação de até 100% o número de câmeras, utilizando a mesma infraestrutura de rádio, gravadores e software.

“O projeto de São Miguel Arcanjo foi criado para atender e superar as demandas observadas no edital com o objetivo de tornarse um exemplo para cidades vizinhas que possuem as mesmas necessidades”, disse Victoria Souza, Marketing da Bycon.

Tecnologia PSpi – Nova categoria para gestão integrada de riscos

Por Jorge Luis Cesín – CEO e Fundador da Xpectra

Serviço de manutenção como parte fundamental da operação

Uma das principais limitações das categorias existentes no mercado, está em lidar com o serviço de manutenção como um elemento isolado da operação.

Neste sentido, o PSpi não só os integra, mas também permite distribuir sua capacidade através de um sistema de plataforma colaborativa, onde cada local é responsável pela autogestão do serviço de manutenção. O interessante sobre esta abordagem é o uso da tecnologia para a introdução de dois tipos de inovação: uma sustentável, no qual o mesmo processo se torna mais eficiente; e outra disruptiva, em que o usuário recebe cada vez uma experiência melhor.

Outra grande vantagem é a capacidade de captar todas as falhas reportadas diretamente pelo centro de controle e/ou equipamento, eliminando processos manuais e utilizando esses dados para gerar indicadores.

O negócio em tempo real

A informação é um dos ativos mais valiosos para uma organização, no entanto, o seu valor é completamente proporcional à velocidade com que ele pode ser processado e traduzido em ações que beneficiem o negócio.

Ao contrário do PSIM, que fornece relatórios pós evento, o PSpi, propõe o uso de ferramentas de inteligência de negócios para acesso a dados em tempo real, no qual, juntamente com a integração de manutenção e operação, torna possível combinar dois ou mais eventos que aconteceram em diferentes sistemas e eles podem ser exibidos imediatamente.

Para fazer isso, ele incorpora scorecards e dashboards, onde são exibidas as linhas dos indicadores definidos pela organização, como a disponibilidade de câmeras, percentagem de efetividade em resolver as falhas, tempo de armazenamento dos históricos dos vídeos exigidos pelas autoridades e cumprimento de níveis de serviço (SLAs) acordados com os fornecedores.

Além disso, ele também tem a capacidade de aprendizagem para priorizar eventos e permite realizar tarefas diversas, como análise preditiva da infraestrutura para antecipação de falhas ou uma auditoria completa de processos e tarefas de procedimentos operacionais.

4 elementos que caracterizam o PSpi

Para que uma plataforma de software possa ser enquadrada dentro dessa nova categoria, deve ser flexível o suficiente para:

1. Possuir uma camada de integração isolada que converta todos os elementos (tecnologias, sistemas e equipamento) em objetos nativos de uma plataforma.

2. Utilizar o serviço de manutenção como parte integrante do sistema, além de ser capaz de dividir um problema centralizado em componentes menores e distribuí-lo.

3. Incorporar bancos de dados de inteligência de negócios (BI) que permite gerar painéis de comando personalizados para visualização em tempo real de indicadores relacionados com a operação e manutenção.

4. Transformar todas essas informações em modelos de gestão de risco que tornam possível saber com precisão a velocidade com que cada localidade está exposta, de forma a ser capaz de realimentar a operação e tomar medidas preventivas.

PSpi pode ser implementado em diversos setores como bancos, varejo, telecomunicações, energia, turismo, produção industrial, transporte, segurança pública e governo. No entanto, se a plataforma não cumprir estas regras não podem ser considerados PSpi.

 

Notícias Relacionadas

Artigos

Você é gestor, mas conhece a fundo seu negócio?

Por Marcelo Teixeira O gestor sempre conhece o seu negócio. Parece óbvio, não é? Nem sempre. Para muitas empresas –…

Cases

Alta tecnologia para segurança dos moradores

Edifício em Florianópolis que contabiliza quase quatro mil acessos por dia aplicou tecnologia de ponta em todo o condomínio. Agora,…

Cases

Residencial mais monitorado que uma cidade

O loteamento fechado Swiss Park instalou um sistema de segurança robusto, com mais de 400 câmeras de vigilância, controle de…