Mercado de segurança eletrônica deve crescer 8% no Brasil em 2018

O setor de segurança eletrônica tem expectativas positivas para o mercado brasileiro em 2018. É o que destaca a presidente da ABESE (Associação Brasileira de Segurança Eletrônica), Selma Migliori, que projeta crescimento de 8% neste ano. O faturamento do setor em 2017 foi de R$ 6 bilhões

“Devemos crescer 2% a mais que o ano passado em função de um pequeno aquecimento do mercado, com destaque para os segmentos de videomonitoramento e portarias remotas”, disse Selma.

Segundo dados da Social Progress Imperative, o Brasil é o 11º país mais inseguro do mundo, o que reflete em grande potencial de aplicação destas tecnologias. Só na cidade de São Paulo há um milhão de câmeras instaladas – uma para cada 7 habitantes.

O segmento de sistemas eletrônicos de segurança registrou uma média de crescimento de 8% nos últimos cinco anos. O setor é composto por mais de 26 mil empresas de segurança eletrônica, que geram 200 mil empregos diretos e mais de 1,7 milhões de empregos indiretos. Hoje, são cerca de 815 mil imóveis com sistemas eletrônicos de segurança no país.

A Exposec – Feira Internacional de Segurança, promovida anualmente pela ABESE, retrata essas oportunidades: é a maior feira de segurança eletrônica da América Latina e a última edição contou com a participação de mais de 42 mil profissionais do setor. Este ano, na 21ª edição, o evento acontece de 22 a 24 de maio, no São Paulo Expo, e já conta com 800 marcas confirmadas.

Notícias Relacionadas

Destaque

Cidades inteligentes: evento no DF mostra uso da tecnologia na segurança pública

Reconhecimento facial nas ruas, mapa online da violência urbana e inteligência artificial para reinserção de presos no mercado de trabalho….

Destaque

Traficantes monitoram polícia através de câmeras

Traficantes do Complexo da Serrinha, em Madureira, na Zona Norte do Rio de Janeiro, instalaram um sistema de câmeras de…

Destaque

Metrô usará drone para monitorar trilhos em Salvador

A concessionária CCR Metrô Bahia começou utilizar, desde o ano passado, um drone que sobrevoa os 33 km de malha…