HID Global prevê as principais tendências em tecnologia de identidade em 2018

A HID Global apresenta as principais tendências no setor de tecnologia de identidade para 2018. A empresa aponta para o aumento da adoção de acesso móvel e nuvem, maior prioridade à proteção da Internet das Coisas (IoT) e análise de dados como algumas das principais tendências que terão um papel  de liderança no desenvolvimento de experiências mais inteligentes e conectadas neste ano.

“As identidades confiáveis ​​serão os pilares fundamentais para que as organizações criem ambientes que conectem pessoas, lugares e coisas”, disse Samuel Asarnoj, vice presidente sênior de Estratégia Corporativa e Desenvolvimento de Negócios da HID Global. “A experiência do usuário será redefinida por tecnologias móveis, IoT, nuvem e oferecerá novas capacidades para o futuro”, afirmou.

Cinco principais tendências:

Benefícios da nuvem

A adoção da nuvem aumentará devido a crescente conscientização sobre a facilidade de implantação, flexibilidade, opções de conectividade e benefícios de produtividade. As plataformas de controle de acesso na nuvem com interfaces de programação de aplicativos (API) e kit de desenvolvimento de software (SDK) estimularão o fornecimento de novas soluções de software, expandindo as opções das organizações para aproveitar ao máximo seus investimentos. A emissão de cartões baseada na nuvem aumentará sua adaptação devido à sua facilidade de uso, segurança e estrutura de custos, enquanto os governos continuarão a investigar cada vez mais como as identificações impressas podem ser agregadas as identificações móveis de cidadãos emitidas pela nuvem.

 A autenticação em nuvem e o gerenciamento de credenciais também integrarão dispositivos móveis, tokens, cartões e pontos finais em ambientes M2M (comunicação máquina-máquina). Além disso, os certificados digitais na IoT usarão serviços de nuvem confiáveis ​​para emitir e gerenciar certificados em milhares de dispositivos.

Ambientes mais conectados direcionam o foco para proteger a IoT

 Os certificados digitais serão um componente central para adicionar confiança na IoT por meio da emissão de IDs digitais únicos para impressoras e codificadores, celulares, tablets, câmeras de vídeo e sistemas de automação de edifícios, além de uma gama de serviços como carros conectados e dispositivos médicos.

• A opção “read” do Apple iOS 11, com sua tecnologia NFC, permitirá a adoção de aplicativos baseados em IoT, a proteção de marca, programas de fidelização de clientes e em outras aplicações que tornam ainda mais necessário melhorar a segurança do IoT.

Adoção em massa de acesso móvel

 2017 foi o ano em que o acesso móvel se consolidou e em 2018, a adoção acelerará ainda mais. A maturidade em soluções móveis e a integração em outros sistemas, juntamente com a capacidade do celular para melhorar a conveniência do usuário, otimizar a eficiência operacional e proporcionar uma maior segurança impulsionará o crescimento acelerado para acesso móvel e sua adoção geral.

O estimulo do cartão modo NFC (Near Field Communication), focado em controle de acesso móvel, permanece reservado para o Apple Pay, que vai deixar o Bluetooth como o padrão de comunicação para suporte de acesso móvel multiplataforma. Ainda assim, as organizações irão investir em leitores e outras infraestruturas que apoiem a NFC e a BLE para que estejam preparadas para futuras possibilidades.

Convergência de segurança física e digital

 O conceito de Identidade Física e Gerenciamento de Acesso (PIAM) conduzirá a convergência de segurança física e digital para uma credencial única, colocando a identidade no centro de todos os casos de uso. Setores como governos, bancos, energia e outros mercados regulados serão os pioneiros no uso dessas soluções para proteger o acesso aos seus edifícios, e-mails, sites e redes virtuais privadas (VPN, sigla em inglês).

  Novos modelos de identidade convergentes que usam autenticação em nuvem e dispositivos móveis também estão emergindo, como a capacidade de verificar a presença de uma pessoa em um local, IDs móveis que validam identidades de cidadãos físicos e cartões inteligentes que autenticam usuários em recursos empresariais.

A análise de dados impulsionará a inteligência baseada em risco para modelos preditivos e novas capacidades

 Os dispositivos, sistemas de controle de acesso, aplicativos IoT e outras soluções conectadas à nuvem fornecerão dados robustos para análises avançadas. As informações dessas análises podem ser usadas para otimizar as soluções de fluxo de trabalho e proporcionar um acesso mais transparente para usuários finais.

 A análise preditiva e a biometria desempenharão um papel crucial na segurança centrada nas pessoas e abordarão as demandas dos funcionários para locais de trabalho com objetivo de oferecer serviços premium e mais personalizados. O Google Analytics também ajudará a reduzir o tempo de inatividade na empresa, além de estimular a automação da fábrica e melhorar a conformidade por meio do monitoramento da condição do equipamento, além da localização e detecção em tempo real.

Notícias Relacionadas

Segurança Eletrônica

Dermalog anuncia sistema de reconhecimento biométrico para aeroportos e controle de fronteira

A Dermalog acaba de lançar um sistema de reconhecimento biométrico para aplicação em locais como aeroportos e controle de fronteira….

Segurança Eletrônica

Tecvoz lança câmera IP Wi-Fi com tecnologia Plug and Play; assista ao vídeo

A Tecvoz anuncia o lançamento de novo modelo de câmera IP Wi-Fi. O modelo TZO-CI101 conta com áudio bidirecional, tecnologia…

Destaque

Mercado de segurança eletrônica deve crescer 8% no Brasil em 2018

O setor de segurança eletrônica tem expectativas positivas para o mercado brasileiro em 2018. É o que destaca a presidente…