Cidades inteligentes: evento no DF mostra uso da tecnologia na segurança pública

Reconhecimento facial nas ruas, mapa online da violência urbana e inteligência artificial para reinserção de presos no mercado de trabalho. As tecnologias que pareciam distantes do mundo real estão a um passo de serem aplicadas em nosso dia a dia. As inovações – em sua maioria inéditas no Brasil – já estão em teste em outras partes do mundo e, agora, serão apresentadas em Brasília.

O Simpósio Internacional de Segurança vai debater o uso da tecnologia na gestão de políticas públicas a partir desta terça-feira (19). Esta é a segunda vez que o evento ocorre no Distrito Federal.

Segundo os organizadores, o objetivo principal do encontro é “mostrar as inovações tecnológicas no combate à criminalidade”. As inscrições são gratuitas para gestores e servidores públicos das áreas de de segurança, tecnologia e inteligência.

Demais participantes terão que pagar uma taxa para participar do evento no Centro Internacional de Convenções do Brasil (veja detalhes abaixo).

O que tem de novo

Entre as novidades, os expositores vão mostrar, por exemplo, programas de reconhecimento facial de suspeitos nas ruas. A tecnologia já é usada em outros estados, como na Bahia.

Uma das funções do programa é aliar a inteligência artificial das câmeras de monitoramento à identificação de rostos de foragidos da polícia. Em outro momento, o reconhecimento facial também vai poder ser usado para ressocializar egressos do sistema penitenciário.

Neste caso, ao cruzar as informações do ex-preso com banco de dados do governo, é possível saber o histórico financeiro e a qualificação dessas pessoas. Com a informação, ficaria mais fácil direcionar o ex-detento para oportunidades de curso e emprego fora da cadeia.

Outra proposta é usar as imagens obtidas das câmeras nas ruas ou de empresas para informar à segurança o antecedente criminal do usuário. Em alguns casos, o sistema prevê até disparar um alarme quando pessoas não permitidas cruzarem determinado local.

Segurança na internet

Além da tecnologia nas ruas, o evento também traz propostas de uso da inteligência artificial na internet. Em um dos programas, pesquisadores criaram uma plataforma virtual que mostra, em tempo real, o “mapa da violência urbana” de determinado local.

Se aplicado no DF, o programa identificaria em tempo real quais tipos de crimes são mais praticados no Plano Piloto, por exemplo. Também seria possível consolidar um banco de dados com informações sobre tipos de armas apreendidas na região.

“Essa base de dados pode nos ajudar com outras frentes da Segurança Pública, ajudar a entender melhor como funciona o nosso efetivo policial e sua eficácia”, explicou o secretário executivo da SSP do DF, Alessandro Moretti.

Simpósio Internacional de Segurança
Quando: 20 e 21 de março
Quando: a partir das 8h
Local: Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB)
Inscrições: www.sintsp.com.br

Fonte: G1 DF

Notícias Relacionadas

Destaque

Vizinhanças apostam em câmeras IP e grupos de WhatsApp para se proteger do crime

Diversas regiões de todo o estado de São Paulo, da capital ao litoral, estão apostando em iniciativas próprias para assegurar…

Destaque

Bombeiros de Los Angeles usam drones em aplicações de segurança pública

A DJI anunciou uma parceria de desenvolvimento de soluções com o Corpo de Bombeiros de Los Angeles (Los Angeles Fire…

Destaque

Governo quer regular o reconhecimento facial para vigilância pública

O governo federal quer propor um projeto de lei para regulamentar a vigilância estatal por meio de tecnologias de reconhecimento…