A NFL emprega leitores de RFID para aumentar a segurança nos vestiários no Super Bowl LII

Após a vitória dos New England Patriots no Super Bowl LI (2017), a camiseta vestida de jogo de Tom Brady foi roubada do vestiário por um membro da mídia internacional.

A roupa foi encontrada no México após uma investigação de quase dois meses, mas levantou questões sobre como os vestiários da NFL podem ou não ser seguros.

É por isso que a NFL mudou seus procedimentos de segurança para o Super Bowl LII a fim garantir que incidentes similares não aconteçam.

Os profissionais da mídia que entraram nos vestiários ontem (04), tiveram suas credenciais escaneadas por leitores RFID para ajudar a acompanhar quem estava na sala em todos os momentos. A liga emitiu o seguinte anúncio para mídia que cobre o Super Bowl:

“Somente os indivíduos que receberam uma credencial de imprensa profissional serão admitidos no pós-jogo no vestiário. Qualquer pessoa que entre ou saia do vestiário deve validar os leitores RF localizados na entrada do vestiário. Haverá um chip eletrônico embutido em todas as credenciais – mídia e não mídia – e leitores eletrônicos na entrada. Na falta de validação ao sair, o profissional ficará impedido de entrar novamente na área do vestiário após o seu retorno.”

Anteriormente, nos vestiários da NFL, as credenciais de imprensa eram verificadas visualmente. Isso significa que um repórter poderia vir e ir sem registro de entrada e saída.

“Trabalhamos extensivamente desde o Super Bowl do ano passado, não só com os clubes, mas também com o nosso estádio e com a tecnologia”, disse à ESPN a diretora de Segurança da NFL, Cathy Lanier. “A credencialização mudou e o próprio sistema mudou. Quem obtém acesso, onde e como eles acessaram foi alterado. Especificamente, em que porta você entra e a que horas você tem acesso para ir aquela local”.

Considerando o número de espectadores envolvidos e a rapidez com que a tecnologia avançou, é um tanto surpreendente que levou muito tempo para implementar qualquer tipo de solução de controle de acesso aos vestiários do Super Bowl.

“A maneira como gostamos de ver isso é que estamos fazendo todo o possível com as câmeras e as tecnologias para manter tudo seguro até a porta do vestiário. Fizemos uma extensa revisão e amplas mudanças porque mesmo com pessoas credenciadas em uma operação de segurança como essa, pode haver incidentes”, diz Lanier.

Notícias Relacionadas

Segurança Eletrônica

Dermalog anuncia sistema de reconhecimento biométrico para aeroportos e controle de fronteira

A Dermalog acaba de lançar um sistema de reconhecimento biométrico para aplicação em locais como aeroportos e controle de fronteira….

Segurança Eletrônica

Tecvoz lança câmera IP Wi-Fi com tecnologia Plug and Play; assista ao vídeo

A Tecvoz anuncia o lançamento de novo modelo de câmera IP Wi-Fi. O modelo TZO-CI101 conta com áudio bidirecional, tecnologia…

Destaque

Mercado de segurança eletrônica deve crescer 8% no Brasil em 2018

O setor de segurança eletrônica tem expectativas positivas para o mercado brasileiro em 2018. É o que destaca a presidente…